Cases

Case St. Luke's Hospital

Case St. Luke's Hospital - Projetos para Melhorar Qualidade dos Serviços Médicos

Projetos feitos para melhorar a qualidade dos serviços médicos, usando ferramente de simulação.

por Victor Lange,Consultor Administrativo, Falick/Klein

Quando pediram a Falick/Klein Associados a remodelagem da Sala de Emergência do St. Lukes, nós deixamos, claro que nosso empenho em modelagem e planejamento era estritamente vinculado ao processo analítico. Resumidamente, nos usamos simulação para ver as mudanças antes da implantação delas. Então o propósito do nosso trabalho foi avaliar o projeto das instalações em paralelo ao modelo operacional e verificar assim o impacto desses fatores nos cuidados com os pacientes. Usando MedModel, nós simulamos a combinação de três diferentes modelos físicos com três caminhos operacionais diferentes para certificar-nos que existia uma adequação entre os dois. De fato, o hospital acabou despendendo mais dinheiro em remodelagem do que eles haviam planejado mas a capacidade clínica e de enfermagem alcançada aumentou mais de 40%. Eu não acho que teríamos alcançado este nível de melhoria sem o MedModel

O Problema

A sala de Emergência sob estudo tinha sido remodelada, redirecionada e adicionada por muitos anos. Infelizmente, nunca foi desenvolvido nenhum plano mestre que definisse o que exatamente deveria ser alcançado a cada mudança. Simplesmente o novo equipamento era comprado e novos processos de enfermagem e limitações de equipe eram implementados sem o benefício de uma única visão administrativa coerente. A simulação me ajudou a combinar remodelagem operacional com remodelagem física para que os dois, freqüentemente validados separadamente, fossem somente não só compatíveis mas também que se suportassem mutualmente. A primeira coisa que nós fizemos foi identificar e documentar os vários problemas. Através da observação nós achamos que o St. Lukes estava perdendo mais de 35% de seu tempo de enfermagem disponível, simplesmente por causa da disposição da unidade. Essencialmente, não existia a capacidade de dividir as horas de enfermagem entre os pacientes; o problema foi a perda da capacidade de enfermagem. Como resultado, os tempos de espera eram inacreditavelmente longos, freqüentemente a média de excesso era de 3,5 horas!

A Solução

Inicialmente, a sala de emergência foi efetivamente dividida em cinco unidades de enfermagem, a maior parte separadas fisicamente e fora de vista uma das outras. Reconhecendo o fato de que reduzindo a quantidade de tempo de enfermagem pessoal, isolada com pacientes específicos, seríamos capazes de aumentar o tempo de enfermagem disponível avaliável para fazer outras tarefas, nós perguntamos, "E se nós removermos as limitações? E se nós permitíssemos enfermeiras localizadas em diferentes grupos para compartilhar a supervisão dos pacientes e o tempo de cuidados?" Em resposta, o hospital sugeriu vários modelos de 5 unidades de enfermagem até 2 ou 3. Nossa idéia foi: por que parar aqui? Vamos tentar alcançar um modelo que dependa de um único grupo de enfermagem. Em outras palavras, vamos alcançar o máximo de divisão possível. Logo que nós fizemos isso começamos a ver alguns dos grandes decréscimos na espera dos pacientes. Com o modelo, nós pudemos testar rapidamente diferentes cenários bem facilmente. Mais importante, se o modelo mostrasse melhora na utilização das enfermeiras ou a redução no tempo de espera dos pacientes, a administração se dispunha a considerar a opção... e algumas das idéias eram absolutamente radicais. Finalmente, nós projetamos um novo sistema para triagem que focava em fazer vários testes várias coletas de material. Nós chamamos esta remodelagem, de "Triage Plus". Triage Plus dependia do uso de enfermeiras como agentes de triagem com a habilidade e experiência para identificar e requisitar testes mais avançados a tempo. Este sistema de classificação avançada manteve 20% dos pacientes fora da SE. De fato muitos deles nunca deixam a Triagem. O atual modelo foi fácil e a codificação foi simples. De modo geral ele consistiu de nada mais que combinações de padrões pêlos quais as enfermeiras eram chamadas alternadamente de qualquer um dos vários postos!

Resumindo

Problema: Através de muitos anos, a sala de emergência foi mudada muitas vezes sem um plano mestre. Os tempos de espera por serviços de enfermagem freqüentemente axcediam 3,5 horas. Solução: Usar o MedModel para simular a sala de emergência, nos levou a um projeto com uma única unidade de enfermagem reduzindo a quantidade de tempo que o pessoal da enferemagem ficava isolado com pacientes específicos e os liberando para outras tarefas. Além disso, um novo sistema foi prejetado para a triagem focando na realização de vários testes e coletas de material primeiro. Este sistema foi chamado Triagem Plus, dependendo das enfermeiras como agentes de triagem. Resultados: O sistema Triagem Plus mantinha 20% dos pacientes fora da SE. De fato muitos nunca deixaram a triagem. Juntamente com as salas de tratamento totalmente desespecializadas e a eliminação de todos os postos de enfermagem, o modelo mostrou um decréscimo na duração da espera na unidade de até 40%. A qualidade do atendimento aumentou, assim como a satisfação total da equipe de enfermagem por que eles eram capazes de fazer o que precisavam mais eficientemente e com maior segurança.

Você precisa de Simulação? Faça este teste

  1. Você está construindo novas instalações ou remodelando uma estrutura existente?
  2. Você está usando reengenharia em suas operações atuais?
  3. Você está implementando um sistema novo complexo?
  4. Você está consolidando serviços ou construções?
  5. Você está tentando avaliar os efeitos de uma nova legislação em suas operações?
  6. Você está considerando as mudanças para os níveis de equipe ou construções para se adequar à demanda?
  7. Algum dos seus departamentos tem dificuldade para determinar o nível apropriado da equipe?
  8. Os tempos de espera dos pacientes estão se tornando um enorme problema?
  9. Você deveria aproveitar melhor seu centro cirúrgico? Se você respondeu sim para alguma destas questões, você deverá ligar para Belge Engenharia e Sistemas para discutir como MedModel, a única ferramenta de simulação do mundo feita especificamente para serviços de saúde, pode ajudar você.

Resultados

O que nós conseguimos foi um sistema de salas de tratamento totalmente desespecializadas, a eliminação de todos os postos de enfermagem uma área de triagem maior e mais eficiente caracterizada por uma nova maneira de coletar e processar amostras assim como pegar adequadamente, raio-x baseados em casos. O que o projeto alcançou, de acordo com o modelo, foi um decréscimo na duração da espera na unidade de até 40%! Ah, e a qualidade do atendimento aumentou, juntamente com a satisfação da enfermagem. A equipe era capaz de fazer o que precisava mais eficientemente e com maior segurança garantida.

Uma Lição em Complexidade

Como um arquiteto, eu abordo a modelagem diferentemente da maioria dos analistas. Por exemplo, eu descobri através da experiência que a maioria das questões de projeto e seus concomitantes problemas de administração não requerem modelos de extrema complexidade e detalhes exagerados. O que eles requerem no entanto é uma visão inicial do que precisa ser feito e o que os membros da equipe tem experimentado com relação as possíveis melhorias. Combinar cada opção com seu projeto paralelo é a tarefa real e a única que produz o maior benefício. Em resumo, manter as coisa simples faz a modelagem ser mais fácil e, de longe mais produtiva e geralmente não sacrifica nem um pouco da sua validade!