• Case Albert Einstein

    Case Albert Einstein

    Aprimorando a logística interna de pessoas e materiais no ambiente hospitalar

"A Belge nos auxiliou a enxergar oportunidades de melhoria na movimentação de materiais, além de tornar as atividades ainda mais seguras."
" ABelge foi uma ótima empresa parceira em todas as etapas do projeto."

Sobre a empresa

A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein nasceu na década de 50 com o compromisso em oferecer à população de nosso país uma referência em qualidade da prática médica. Atualmente é sinônimo de excelente em saúde na América Latina e conta com 10 unidades, dentre elas o hospital no Morumbi, centros de medicina diagnóstica, centros de educação e pesquisa, além de contar com programas de atendimento a comunidade.

Objetivos e Escopo

Com o crescente aumento de pacientes e de novas áreas no Hospital Israelita Albert Einstein, aumentou a necessidade de movimentação de materiais (rouparia, resíduos, alimentos, entre outros) pelos corredores, o que fez o HIAE procurar a Belge para estudar essas movimentações, visando garantir que elas fossem feitas de maneira otimizada e segura.

Desenvolveu-se um estudo de consultoria logística com os seguintes objetivos:

  • Mapear o cenário atual de movimentações;
  • Analisar este cenário, identificando-se os gargalos e os riscos;
  • Desenvolver propostas de melhorias para os problemas encontrados.

Desenvolvimento

Foram inicialmente levantados 12 temas que seriam avaliados nesse projeto.

Para cada um destes temas, foi utilizada a ferramenta mais adequada para a análise. Em vários casos, foi utilizada a ferramenta de simulação MedModel para se verificar as filas e os gargalos. Foram feitas observações e acompanhamentos das rotinas dos locais, identificando-se todos os pontos de origem e de destino das movimentações, a fim de racionaliza-las.

Dentre os temas levantados, destacamos:

  • Recebimento de material externo - todo fluxo de caminhões de entrega, filas internas e externas, fluxo de materiais e pessoas na área da doca;
  • Refeitório interno - avaliação do layout do refeitório, identificando fluxos cruzados de materiais e pessoas e avaliando a geração de filas nos horários de pico;

Refeitório

  • Resíduos - toda movimentação interna de resíduos no hospital, analisando-se os pontos de maior geração, além de toda a movimentação até os abrigos;
  • Rouparia - movimentação de roupas para abastecimento dos centros cirúrgicos e também dos leitos, observada a falta de centralização no depósito que causava movimentações excessivas;

Rouparia

  • Fluxo do Pronto Atendimento - readequação no intenso fluxo de pessoas e de veículos observado nesta área;

Atendimento Estacionamento

Resultados e Ganhos

Como resultados do projeto, foram levantadas mais de 100 oportunidades de melhorias. Algumas eram rápidas e simples de serem implementadas, outras careciam de um investimento maior devido às tecnologias envolvidas ou à necessidade de obras estruturais. Alguns destaques:

  • Criação de um sistema que permite visualizar o volume nas salas de resíduos e rouparia, evitando-se tanto a movimentação desnecessária dos funcionários como também o grande acumulo de material (para resíduos, 90% das viagens, em média, necessitavam passar em mais de uma sala, aumentando assim os percursos).
  • Sistema para controle automático de caminhões, garantindo-se que a quantidade de veículos no pátio permitisse a movimentação, além de também observar a restrição de altura de acesso.
  • Consolidação de cargas por meio de ‘milk run’ e de um planejamento de entregas que eliminem as filas de caminhão de recebimento.
  • Redução na quantidade de materiais nos corredores, adotando-se um sistema ‘puxado’ ao invés do ‘empurrado’.
  • Melhoria nos fluxos de acesso ao Pronto Atendimento, evitando que carros não emergenciais passassem para outra área, minimizando risco de acidentes.