• Case Wright

    Case Wright

    Indústria alimentícia adota o ProModel como solução indispensável

    por Chris Hopkins, Gerente de Melhoria de Processos, Wright Brand Foods

"... a empresa calcula ter economizado cerca de US$10 milhões ao ter abandonado um plano mestre recomendado por uma consultoria externa (ao preço de US$250 mil) e ter optado em basear seu plano de crescimento através da modelagem e simulação dos processos com a Promodel."

Sobre a empresa

Produzir bacon é uma atividade com desafios únicos. Trata-se de um processo complicado e que possui uma variabilidade considerável em cada etapa de produção. Por ser um produto perecível, o item tempo é essencial para obtenção do produto final adequado nos canais de distribuição. Sua produção é monitorada de perto por inspetores da USDA e regulamentada pelo EPA. Junto ao processo de cura e defumação do porco, existe a demanda de mercado e a pressão competitiva para se desenvolver novos tipos de bacon. Um lançamento recente, por exemplo, foi o bacon totalmente cozinhado e estável de prateleira, que pode ser armazenado na despensa e rapidamente aquecido no microondas para uma refeição imediata.

A Wright Brand Foods é uma empresa familiar, localizada Vernon, Texas / EUA, tendo uma história de grande sucesso industrial. Por mais de 77 anos, a empresa produziu produtos de presunto e bacon, obtendo um crescimento sólido e constante nos anos 80 e 90.

Em 1998, a empresa faturou US$ 150 milhões, sendo a metade disto destinado a clientes de varejo como p.ex a rede de restaurantes Denny's. Os produtos de origem suína da Wright Brand Foods são expedidos para 30 estados nos EUA, além de clientes no México, na América do Sul e no Japão. Em 1998, a empresa registrou um crescimento recorde de 25 % em vendas. A produção não poderia acompanhar a demanda. Se a Wright Brand Food pretendia continuar sua estratégia de sucesso de produzir produtos de qualidade entregues aos clientes muito mais rapidamente que a maioria de seus competidores, teria que expandir imediatamente sua capacidade produtiva.

Objetivos e escopo

Modelo de simulação da Wright no Promodel

A primeira necessidade era expandir a planta física nada simples, tendo em vista que as instalações da empresa eram fisicamente limitadas de um lado por uma via férrea e do outro por uma rodovia interestadual. Inicialmente, uma firma de engenharia foi contratada para desenvolver um plano mestre de expansão, com uma extensa lista de metas que incluía um projeto visando expandir a produção final em 20%. A planta final que foi apresentada com atraso e muito acima de orçamento foi rejeitada. Os consultores não entenderam suficientemente os processos envolvendo a produção de bacon, de forma a apresentar um plano viável, e apenas a fase 1 do projeto (projeto da edificação) acabou sendo implementada.

O segundo desafio era o de expandir a capacidade de recurso humanos da empresa. Crescemos de 500 empregados em 1995 para mais de 700 em 1999. A contratação de mais pessoas se fazia necessária, mas a cidade de Vernon, onde se situa a empresa, é bem pequena e distante de qualquer grande cidade, o que tornava o recrutamento uma tarefa árdua. Tínhamos também que fazer a melhor alocação possível de todos os funcionários.

Depois do plano apresentado pelos consultores ter sido rejeitado, a gerência percebeu que qualquer plano realista teria que incluir uma restrição não considerada previamente: a expansão teria que ser realizada sem perdessemos um dia sequer de produção.

Considerando os processos industriais complexos da Wright Brand e a urgente necessidade de um plano de expansão que pudesse ser implementado sem a incorrência de perdas produtivas, a simulação provou ser a solução ideal. Inicialmente, apenas a categoria de produtos de bacon foi modelada. Do processo completo, compreendendo desde o pedido dos insumos de porco até o sistema final de distribuição, apenas os processos produtivos de bacon que tinham maior impacto em termos de tempos de processo e rentabilidade, foram efetivamente modelados.

A empresa iniciou o projeto contando com um dia de auxílio do consultor Steve Courtney da PROMODEL. Seguindo suas recomendações, as operações do dia-a-dia na produção de bacon preparação, cura, defumação, resfriamento, prensagem, classificação, fatiamento e empacotamento foram modeladas. Em alguns casos, utilizamos fotografias de empregados executando os processos, a fim de criar os fluxogramas de processos. A representação visual ajudou a tornar claro para todos que o simples aumento de espaço na área produtiva, não permitiria atingir a meta de dobrar a capacidade produtiva.

A simulação das operações, e a exploração dos diferentes cenários possíveis, possibilitaram a obtenção de um nível de informações e de idéias que jamais seriam alcançadas através de técnicas tradicionais, como as planilhas eletrônicas. Foi especialmente útil para nós a habilidade de se identificar onde e quando aconteceriam gargalos nos sistemas produtivos, segundo vários planos e condições operatórias distintas. Com estas informações, a empresa pôde melhorar a alocação de seus funcionários e a utilização dos equipamentos e instalações, conseguindo aumentar substancialmente a produção final.

Resultados e Ganhos

Através do simulador ProModel, a Wright Brand Foods pôde estabelecer com confiança um plano com horizonte de sete anos, visando dobrar sua capacidade produtiva. O plano especifica a adição de um lote adicional diário de bacon a cada verão, até o ano de 2005, e está sendo implementado sem que ocorra ualquer perda de produtividade.

A simulação também ajudou a posicionar bem a empresa junto ao EPA. Como ampliou-se a capacidade de defumação, um novo oxidante térmico se fez necessário para prevenir-se a poluição do ar. Sem o modelo, teria sido impossível saber se viria a ser necessária, ou quanta oxidação térmica adicional seria necessária para se atender aos padrões do EPA.

A simulação proporcionou retornos excepcionais ao melhorar o planejamento e a programação dos recursos humanos envolvidos. A habilidade de se predizer e administrar os impactos em horas-extras, realocação e absentismo proporcionou o maior dos benefícios imediatos.

O modelo foi também usado para explicar e corrigir as deficiências no processo produtivo do bacon, traduzido em ganhos de qualidade e produtividade.

Agora a Wright Brand Foods dispõe de capacidade produtiva para acompanhar bem as suas vendas. A empresa gastou quase US$ 250 mil numa consultoria de plano mestre que era inviável, mas calcula ter economizado cerca de US$ 10 milhões ao ter abandonado tal plano e optado em basear seu plano de crescimento através da modelagem e simulação dos processos.

A modelagem da produção de bacon proporcionou resultados tão valiosos que a Wright Foods está planejando estender a simulação para seus processos de produção de presunto, compras, estocagem, distribuição, setores administrativos, atendimento a clientes, etc.