• Case Ipiranga

    Case Ipiranga

    Projeto de Modelagem e Simulação de Bases de Distribuição de Combustíveis da Ipiranga

    por Luis Silberman / Coordenadoria de Automação Industrial – OP – Ipiranga

Destaque

O projeto permite a identificação dos gargalos das operações atuais e definir as melhores opções de investimentos em ativos nas instalações futuras.Aqualidade do projeto superou as expectativas, segundo a avaliação da Ipiranga.

Sobre a Empresa

Atualmente, a rede Ipiranga conta com mais de 6 mil postos de abastecimento e com mais de 40 bases de distribuição.

Escopo do Projeto

Considerando a complexidade da operação de uma base de distribuição de combustíveis e a dificuldade da tomada de decisões de mudanças operacionais, a Ipiranga busca intensificar seus estudos de planejamento logístico no intuito de analisar seus possíveis futuros modelos de operação.

Foto aérea Ipiranga

Essa consideração, entre outras, levou a Ipiranga a buscar uma ferramenta que, além de atender o objetivo acima descrito, permita planejar melhor o uso dos equipamentos como bombas, braços nas lajes e caminhões.

Neste projeto, que foi conduzido através do emprego da tecnologia de modelagem e simulação do software ProModel®, foi desenvolvida uma ferramenta para avaliar o impacto que diferentes cenários teriam sobre a capacidade de atendimento da demanda. O modelo desenvolvido representa uma base de distribuição de combustíveis genérica e configurável da Ipiranga, de tal forma a permitir uma simulação semelhante das operações praticadas. Além disso, podemos modificar as características de cada componente, como por exemplo: capacidade das bombas, quantidade e tipo de braços por produto, número de lajes de carga e descarga, tempos de operação, capacidade dos pátios, número e capacidade dos tanques por produto, etc., e também verificar o reflexo que isso causaria nas operações de carga e descarga. Em suma, temos muita flexibilidade na criação de cenários e, com os resultados obtidos nessas simulações, atuar nos pontos críticos (gargalos, falta de recursos, ociosidades, etc.) que podem surgir.

Desenvolvimento

Tomando-se como referência um esquema genérico de uma base de distribuição de combustíveis da Ipiranga, foi criado um cockpit, em Excel, que permita configurar os parâmetros de operação da área, bem como inferir nos dados de cenários externos, tais como: horário de chegadas de caminhões, demanda total de carregamento e descarga, perfil de pedidos, tipos de veículos etc.

Modelo

Resultados e Ganhos

Com a simulação das bases de distribuição é possível identificar os gargalos das operações, como bombas, lajes, bicos etc. Esse estudo ajuda a definir melhor os investimentos em infraestrutura tanto para bases existentes, quanto para futuras instalações.

Relatorios de ganhos
Relatorios de ganhos