Cases

Case Coca-Cola / Brasal

Case Coca-Cola / Brasal

Planejamento Logístico da Expansão do CD
da Coca-Cola Brasal – DF

por Juliano Sonza - Gerente de Engenharia Logística (Brasal)

Destaque

Na análise inicial realizada pela Belge Engenharia foi observado que era possível aumentar em 21% a capacidade de armazenagem através de um melhor aproveitamento das áreas"

"Com o projeto foi possível diminuir o tempo de picking, melhorar nosso nível de serviço e fazer um correto dimensionamento de recursos"

Sobre a Empresa

A Brasal foi fundada na década de 60 em Brasília. Desde então, ela se consolidou como um dos maiores grupos empresariais da região Centro-Oeste, tornando-se uma força econômica desta região. A Brasal Refrigerantes foi incorporada pela empresa em 1989 e representa a Coca-Cola e a Femsa com a produção, venda e distribuição de produtos no Distrito Federal, sudeste e nordeste de Goiás, noroeste de Minas e Sul do Tocantins.

Escopo do Projeto

A Belge desenvolveu um estudo logístico utilizando a tecnologia de simulação CDSim/ProModel para planejar a expansão do CD (Centro de Distribuição) da Coca-Cola do Distrito Federal e sugerir uma nova forma de operação do site.

Desenvolvimento

O estudo foi dividido em duas etapas: primeiramente foi realizada uma análise prévia do layout e posteriormente desenvolvido um modelo de simulação.

A primeira etapa contemplou o estudo de layout considerando, além da área já existente da operação da Brasal, a nova área de ampliação do CD. Na análise inicial realizada pela Belge Engenharia foi possível aumentar em 21% a capacidade de armazenagem da nova área de ampliação através de um melhor aproveitamento desta área de ampliação. A partir dessa análise pode-se propor uma nova tática de operação para otimizar os fluxos e movimentações do armazém.

Proposta de operação do CD
Proposta de Operação


Na segunda etapa, utilizando as tecnologias CDSim e ProModel fora desenvolvido um modelo de simulação para avaliar esta nova operação. Neste modelo foram considerados os seguintes itens:

  • Fábrica: linhas de produção;
  • Recebimento de Produto: transferência e revenda;
  • Expedição: veículos de rota, auto-serviço, transferência e distribuidores;
  • Operações de Reverso: veículos de rota, mercado, transferência e distribuidores;
  • Picking: montagem de pallets mistos, re-suprimento;
  • Armazenagem de Produto: área nova e área existente;
  • Restrições da operação: turnos, quebras, FEFO, etc;
Operacionalidade do Modelo
Operacionalidade do Modelo


Resultados e Ganhos

Através do estudo conseguiu-se:

  • Verificar o melhor aproveitamento das áreas do CD e identificar o melhor layout (aumento de 21% na capacidade de armazenagem da nova área de ampliação);
  • Aprimorar os fluxos desde a saída das linhas de produção, armazenagem, picking e expedição (redução de 26% no tempo de atendimento e de 6% no tempo de montagem de pallets do picking);
  • Determinar a melhor estratégia de operação (espaço sequencial de operações);
  • Dimensionar e balancear os recursos envolvidos nos processos.
  • Vislumbrou a possibilidade de estruturar com sistema de armazenagem, uma área especifica para estocagem de produtos de baixo e médio giro. Culminou no projeto de verticalização (no local dimensionado na simulação) para uma estrutura de drive-in, projeto que foi implantado e finalizado em Fevereiro de 2011.